Notícias

CONDIO-BR LEVANTA AS MÉDIAS SALARIAIS NO BRASIL, 1ª PESQUISA NACIONAL

 

 

O profissional Técnico de Imobilização Ortopédica é um trabalhador muito importante da área da área da saúde que atua no auxílio de médicos ortopedistas. Faz parte de nossa Missão lutar por direitos e maiores garantias e segurança do profissional da área de Imobilização Ortopédica, por isso, nós do CONDIO-BR, Conselho Deliberativo da Imobilização

 Ortopédica do Brasil, além de atuarmos focados na regulamentação da profissão, pensamos nesta matéria especial para destrinchar pelo menos um pouco de como andam as vagas e os salários destes profissionais em todo o Brasil.

Qual a média salarial? Quais Estados oferecem os melhores salários? Onde estão as vagas? Quais Estados possuem um mercado mais amplo para os profissionais da nossa área? Essas, e outras perguntas, serão respondidas neste texto que tem o objetivo de oferecer um panorama realista sobre como anda a situação dos profissionais, experientes ou recém-formados, no ramo da Imobilização Ortopédica.

Para começar, precisamos dizer que a maioria das vagas de emprego para essa profissão estão concentradas e são oferecidas por hospitais e clínicas médicas ou de saúde que efetuam atendimento de pronto socorro. Outro detalhe bastante importante e que merece ser ressaltado é que, para o exercício pleno e legal da função, é necessário que o profissional se enquadre nas regras ou exigências do mercado já que a Categoria vem trabalhando pela Regulamentação Federal.

Segundo um estudo bastante aprofundado desenvolvido pelo portal salario.com.br, e divulgado em Outubro de 2020. com base em uma amostragem que foi atrás de cerca de 739 salários de profissionais admitidos e desligados em todo Brasil, o cargo de Técnico de Imobilização Ortopédica é um dos que tem a maior demanda no mercado de trabalho brasileiro nos últimos meses. O estudo revelou que, de Janeiro e Agosto de 2020, por exemplo, houve um aumento de 13.21% nas contratações formais com carteira assinada em regime integral de trabalho na área.

Mas quanto ganha, em média, um profissional Técnico de Imobilização Ortopédica no Brasil? A faixa salarial média do Técnico de Imobilização Ortopédica no Brasil fica entre R$ 1.562,65 e R$ 3.071,09, considerando profissionais contratados com carteira assinada em regime de CLT. O perfil médio do profissional também foi destrinchado e, segundo a pesquisa, o trabalhador, no geral, tem, em média, 34 anos, ensino médio completo, é do sexo masculino e trabalha cerca de 36 horas semanais.  São Paulo é a cidade com mais ocorrências de contratações e vagas de empregos na área.

Sabemos também, inclusive focamos bastante o nosso portal nessa área, que a profissão oferece muitos concursos públicos em todo o Brasil. Mas, e se o profissional Técnico de Imobilização Ortopédica for concursado? Muda alguma coisa no salário? O estudo também revelou que um profissional do ramo concursado ganha, em média, R$ 1.437,28 para uma jornada de 34 horas semanais. Portanto, chegamos à conclusão que seguir uma carreira concursada de Técnico de Imobilização Ortopédica, pode não ser a melhor opção, já que, como vimos acima, a remuneração no setor público é cerca de 16% menor do que a média salarial no setor privado. Ressaltamos, porém, que detalhes como a estabilidade e a jornada de trabalho um pouco menor devem ser levadas em consideração, principalmente por quem pensa ou sonha em conseguir um cargo a partir de um concurso público.

Mas e por Estados? Como estão os salários, se começarmos a analisar por cada Estado do Brasil? Vamos lá! Em São Paulo, o Estado com a maior demanda de vagas no Brasil, o piso salarial é de cerca de R$ 1.772,40. O Técnico de Imobilização Ortopédica recebe no Estado, em média, R$ 1.941,95, com uma jornada de 38 horas semanais. O Estado com maior piso salarial e, portanto, maior salário médio do Brasil, é a Paraíba. O piso no Estado do Nordeste, para um carga horária de 40 horas semanais, é de R$ 3.552,29, com uma média salarial de R$ 3.892,12, e um teto que pode chegar a R$ 5.881,88.

Os estados com menor piso salarial também estão no Nordeste: Pernambuco, que oferece piso de R$ 1.045,00, por jornada de 41 horas semanais, e média salarial de R$ 1.109,29, e Alagoas, com o mesmo piso de R$ 1.045,00, mas com jornada de 37 horas semanais e média salarial de R$ 1.064,12. No Sul, destaque para Santa Catarina, que tem piso de R$ 1.779,83, para jornada de 41 horas semanais e salário médio de R$ 1.950,09, e Rio Grande do Sul, com piso de R$ 1.635,29, jornada de 37 horas semanais e salário médio de R$ 1.791,69.

Confira o piso salarial, jornada de trabalho e salário médio nos outros Estados do Brasil:

  • Rio de Janeiro: R$ 1.321,71 (PISO), 39 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.448,15 (MÉDIA SALARIAL)
  • Espírito Santo: R$ 1.311,45 (PISO), 37 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.436,91 (MÉDIA SALARIAL)
  • Ceará: R$ 1.052,80 (PISO), 42 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.153,52 (MÉDIA SALARIAL)
  • Distrito Federal: R$ 1.317,12 (PISO), 41 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.443,12 (MÉDIA SALARIAL)
  • Mato Grosso: R$ 1.481,53 (PISO), 37 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.623,26 (MÉDIA SALARIAL)
  • Goiás: R$ 1.285,22 (PISO), 41 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.408,17 (MÉDIA SALARIAL)
  • Paraná: R$ 1.415,72 (PISO), 35 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.551,15 (MÉDIA SALARIAL)
  • Mato Grosso do Sul: R$ 1.369,88 (PISO), 42 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.500,92 (MÉDIA SALARIAL)
  • Bahia: R$ 1.426,65 (PISO), 38 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.563,13 (MÉDIA SALARIAL)
  • Maranhão: R$ 1.081,24 (PISO), 39 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.184,68 (MÉDIA SALARIAL)
  • Minas Gerais: R$ 1.308,85 (PISO), 39 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.434,06 (MÉDIA SALARIAL)
  • Rio Grande do Norte: R$ 1.069,38 (PISO), 39 horas (JORNADA SEMANAL) e R$ 1.171,68 (MÉDIA SALARIAL)

Por, Vinícius Lecci

 

Foto (https://www.google.com.br/url?sa=i&url=https%3A%2F%2Fwww.salario.com.br%2Ftabela-salarial%2Fcargos-e-salarios-area-da-saude%2F&psig=AOvVaw3-H3qaO5qDVP-QIUugRJSu&ust=1604458123171000&source=images&cd=vfe&ved=0CAIQjRxqFwoTCPCz97mu5ewCFQAAAAAdAAAAABAD)